domingo, 27 de novembro de 2016

"O TEMPO PASSOU E ME FORMEI EM SOLIDÃO" - José Antônio Oliveira de Resende



Sou do tempo em que ainda se faziam visitas.
Lembro-me de minha mãe mandando a gente caprichar no banho porque a família toda iria visitar algum conhecido.
Íamos todos juntos, família grande, todo mundo a pé.
Geralmente, à noite.
Ninguém avisava nada, o costume era chegar de paraquedas mesmo.
E os donos da casa recebiam alegres a visita.
Aos poucos, os moradores iam se apresentando, um por um.
– Olha o compadre aqui, garoto!
- Cumprimenta a comadre.
E o garoto apertava a mão do meu pai, da minha mãe, a minha mão e a mão dos meus irmãos.
Aí chegava outro menino.
Repetia-se toda a diplomacia.
– Mas vamos nos assentar, gente. Que surpresa agradável!
A conversa rolava solta na sala.
Meu pai conversando com o compadre e minha mãe de papo com a comadre.
Eu e meus irmãos ficávamos assentados todos num mesmo sofá, entreolhando-nos e olhando a casa do tal compadre.
Retratos na parede, duas imagens de santos numa cantoneira, flores na mesinha de centro... casa singela e acolhedora.
A nossa também era assim.
Também eram assim as visitas, singelas e acolhedoras.
Tão acolhedoras que era também costume servir um bom café aos visitantes.
Como um anjo benfazejo, surgia alguém lá da cozinha – geralmente uma das filhas – e dizia:
*– Gente, vem aqui pra dentro que o café está na mesa.*
Tratava-se de uma metonímia gastronômica.
O café era apenas uma parte: pães, bolo, broas, queijo fresco, manteiga, biscoitos, leite... tudo sobre a mesa.
Juntava todo mundo e as piadas pipocavam.
As gargalhadas também.
Pra que televisão?
Pra que rua?
Pra que droga?
A vida estava ali, no riso, no café, na conversa, no abraço, na esperança...
Era a vida respingando eternidade nos momentos que acabam.... era a vida transbordando simplicidade, alegria e amizade...
Quando saíamos, quase sempre antes das 22:00 h, os donos da casa ficavam à porta até que virássemos a esquina.
Ainda nos acenávamos.
E voltávamos para casa, caminhada muitas vezes longa, sem carro, mas com o coração aquecido pela ternura e pela acolhida.
Era assim também lá em casa.
Recebíamos as visitas com o coração em festa...
A mesma alegria se repetia.
Quando iam embora, também ficávamos, a família toda, à porta.
Olhávamos, olhávamos... até que sumissem no horizonte da noite.
O tempo passou e me formei em solidão.
Tive bons professores: televisão, vídeo, DVD, internet, e-mail, celular, Whatsapp ...
Cada um na sua e ninguém na de ninguém.
Não se recebe mais em casa.
Agora a gente combina encontros com os amigos fora de casa:
– Vamos marcar uma saída!... – ninguém quer entrar mais.
Assim, as casas vão se transformando em túmulos sem epitáfios, que escondem mortos anônimos e possibilidades enterradas.
Cemitério urbano, onde perambulam zumbis e fantasmas mais assustados que assustadores.
Casas trancadas...
Pra que abrir?
O ladrão pode entrar e roubar a lembrança do café, dos pães, do bolo, das broas, do queijo fresco, da manteiga, dos biscoitos de nata...
*Que saudade de um compadre e de uma comadre!...*
Créditos: José Antônio Oliveira de Resende
Professor de Prática de Ensino de Língua Portuguesa, do Departamento de Letras, Artes e Cultura, da Universidade Federal de São João del-Rei.

Texto enviado pela prima, de Juiz de Fora, Luz e Mar Rodrigues Soares

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

CONSELHOS DE PUTA VELHA - CASA DAS BRUXAS JADE FÊNIX




Gift: INTERNET - oficina-do-gif.blogspot.com


Não se esforce demais. 
O lingerie de seda, o perfume importado e o jantarzinho a luz de velas com vinho caro é para quem merece. 

Algumas mulheres têm mania de pegar um ficante que encontrou há a uma semana na balada, levar pra casa e tratar como um rei. Tratamento vip é para namorado firme e marido, se merecerem. Porte-se como uma joia rara e como tal não se doe facilmente para o primeiro que aparecer, não importa o nível da sua carência, seja valiosa.

Pare de ser tão boazinha. 
Abrir mão do que gosta, mudar o jeito de ser, deixar de se divertir, só porque começou um relacionamento e está apaixonada? 
Homem gosta de mulher com vida própria, orbitar em volta dele é receita certa para o fracasso, ele pode momentaneamente demonstrar que gosta deste estilo, mas logo se cansa. 
No fim você perde o namorado e os amigos. 
Sem contar que ele não vai abrir mão de assistir futebol para ficar com você. Use o mesmo critério para lidar com ele e no fim ele estará te acompanhando em tudo, feliz da vida, afinal é muito bom estar ao lado de pessoas que tem vida.

Pare com os joguinhos. 
Os casais perdem a oportunidade de se conhecer de verdade e sem máscaras. 
Está manjado demais transar só no terceiro encontro, não responder a mensagem antes de 60 minutos, só atender o telefone no quinto toque, fazer ciúmes sem necessidade e fingir que não dá a mínima. Encontrar o equilíbrio entre ser disponível demais e ser inacessível está difícil. 
Ninguém mais demonstra interesse e tesão pelo outro de forma saudável. 
Nunca sabemos se o outro não liga no dia seguinte porque não está interessado ou porque está se fazendo de difícil para valorizar o passe. 
Ter tato para não perder a dignidade e saber a hora de bater em retirada é importante, mas um pouco de transparência e sinceridade não faz mal a ninguém. 
Se for fazer joguinho, seja inteligente, crie novos truques, pois alguns já estão batidos demais.

Jamais se rebaixe. 
Não importa qual foi a traição, a culpa é do seu parceiro e não da “vagabunda” que ele comeu, a não ser que ela tenha colocado um revolver na cabeça dele. 
Essa história de mulher bater na amante é ridícula. 
Nenhum homem é digno de escândalos e manifestações públicas de ciúmes, isso inclui as indiretas nas redes sociais. 
Mesmo que tiver chorando lágrimas de sangue, fique em cima do salto, ninguém precisa saber da sua condição miserável, não dê esse gostinho para as inimigas e para algumas amigas falsas e invejosas. Aprenda, para algumas pessoas só contamos as vitórias!

Seja você mesma. 
A performance do filme pornô de quinta categoria não precisa necessariamente ir para sua cama, nada mais patético que a mulherada que finge orgasmo e ainda quer contar vantagem “ pras amiga”. 
Sem contar que se a coisa for forçada demais o homem percebe. 
Já ouvi depoimentos de caras que simplesmente brocharam em situações assim. 
Nada contra quem gosta do estilo e faz porque realmente gosta e está com vontade, mas tudo que é falso e feito somente para tentar impressionar o outro pode gerar efeito contrário.

A diferença entre ser feminina e mulherzinha. 
Homem quer ser homem, o chefe da casa. 
Suba na cadeira e chame o gato pra matar a barata, peça-o para abrir a conserva de azeitona e trocar a resistência do chuveiro (essa é uma lição que ainda não aprendi). 
Quando o macho alfa terminar, não esqueça de agradecer e elogiar tanta virilidade 
Não importa se você é presidente de uma multinacional e ganha cinco vezes mais que ele, seu parceiro vai adorar uma mulher feminina que o valorize enquanto homem e que o faça sentir-se útil (isso se ele merecer). 
A mulherzinha olha a marca do carro, dá golpe dá barriga e é manipuladora, faz escândalo por qualquer coisa, quebra as finanças do parceiro, requer atenção total, mas é afetivamente mesquinha, só recebe. 

Mulherzinha, ai que preguiça! 
Para os leitores que levam tudo ao pé da letra, é claro que esse é um exemplo, existem infinitas possibilidades para valorizar um homem, e não podemos limitá-los apenas a matadores de baratas e abridores de conservas.

Escolha bem seu parceiro use a razão não só o coração. 
A mulherada lutou e luta tanto por igualdade, mas hoje tem jornada dupla e até tripla para dar conta da vida profissional, casa, filhos e marido. 
Queria saber onde está a igualdade nisso, pois enquanto a mulher se desdobra, muitos maridos estão no sofá assistindo tv ou no bar com os amigos. 
Quando for se relacionar com alguém, antes de se envolver loucamente em um amor de pica sem fim, preste muita atenção na sogra, veja como ela trata os filhos. 
Dá tudo na mão, recolhe os sapatos e meias sujas pela casa, faz o pratinho de comida com o feijão em cima, lava as cuecas, defende cada um até a morte mesmo que estejam errados? 
Se for esse o caso, AMIGA CORRAAAAA! 
Caso contrário, você será uma forte candidata a Amélia emancipada.

O borogodó – Magnetismo pessoal e amor próprio vale mais que um corpo sarado. 
A mulherada está caprichando tanto no treino, na lipoaspiração e no silicone, mas o número de fracassos amorosos não diminui. 
Outra ala se sente gorda demais e sem autoconfiança para atrair o sexo oposto, mas também não faz nada para mudar. 
Existem mulheres que aparentemente não possuem nada de especial, podem até ser “feias”, porém, por alguma razão os homens caem aos seus pés. 
Esse magnetismo em algumas mulheres vem de onde? 
O que elas têm é independência emocional, se apoiam sozinhas, se bastam, tem outras metas além de agarrar um homem, estudam, trabalham, viajam e são felizes sozinhas ou acompanhadas. 
Não vivem carentes chorando pelos cantos, não são cheias de mágoas, não pegaram ódio dos homens por conta de decepções do passado. 

Aconteça o que acontecer, essas mulheres estão sempre de cabeça erguida e tem uma vida que não se limita apenas em se arrumar para encontrar um macho.
Seja uma puta entre quatro paredes e o que quiser na sociedade. Afinal o que é ser uma dama na sociedade? 
A Amélia emancipada devotada à família, a esposa renegada que trabalha que nem camela para dividir com o marido as contas de casa? 
Tem algo mais irritante que estereótipos do que é ser uma boa mãe e esposa? 
E a quantidade de cobranças que recebemos quando não atendemos esse modelo? 
E essa mulher resignada e atarefada, consegue ser o mulherão que os homens adoram entre quatro paredes? Claro que não! 

Conheço casais que nunca conversaram sobre suas preferências e fantasias sexuais. 
Tudo bem que não é fácil manter o tesão a todo vapor 100% do tempo, mas quanto vale o seu relacionamento? 
Será que ele não merece um pouco mais de investimento? 
Nem é tão difícil assim satisfazer um homem, faça bem feito, faça com gosto, mostre que ele é desejado (se ele merecer) nem precisa se pendurar no lustre e saber todas as posições do kama sutra, basta tirar algumas horas para dedicar exclusivamente a ele, com amor, carinho e uma pitada de sacanagem, por que não? 
Por ele sim vale investir no jantarzinho a luz de velas, no lingerie de renda e no vinho caro.

Esse título foi inspirado por uma grande amiga, prostituta aposentada, que acumulou uma experiência de vida que poucas vezes vi igual. 
Na verdade, ela tem a idade da minha mãe e sempre me deu conselhos dizendo: – Ouve o conselho dessa puta velha! 
Por incrível que pareça, toda vez que não seguia os conselhos dela me dava mal. 
Esta mulher até hoje tem em suas mãos tudo que quer e um poder de atração de dar inveja a qualquer ninfeta de 20 anos, soube investir todo dinheiro que ganhou e tem uma vida mais que tranquila ao lado do grande e único amor de sua vida. 

E quando pensamos em puta, pensamos logo em promiscuidade e vender o corpo, mas tem muita puta por aí mais digna e honesta que certas mulheres tidas como “damas da sociedade”, mas que já se venderam mais que tudo e por muito pouco. 

Histórias assim são para quebrar os paradigmas e fazer repensar alguns valores, sem contar que chacoalham os puritanos, as feministas e críticos de plantão.

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Recebendo os amigos, prazer muito especial e uma noite de alegrias


JANTAR – 18/11/2016 

COMENSAIS – WALCIRA - LÚCIA – DÉBORA – MARCELO – SÉRGIO – UNIVERSO

ENTRADAS:

MIX  DE TRECOS:


  • TERRINE DE CANARD TRUFFÉ
  • OVAS DE CAPELIN TIPO CAVIAR
  • TORRADINHAS SABOR LARANJA
  • BRUSQUETA CREME DE MASCARPONE E POLENGUI CREMOSO, GERGELIM TOSTADO, MORANGO MACERADO NO BALSÂMICO DE PERA E NOZES
  • PRESUNTO CRU RECHEADO COM GELEIA DE CASSIS
  • TORRESMIN DE BARRIGA COM GOIABADA CREMOSA E FAROFA DE CASTANHA DE CAJU
  • GASPACHO DE TOMATE E MANGA

PRATO PRINCIPAL:


  • PERNIL  DE CORDEIRO A  ARAGON COM TIRAS SALTEADAS DE PIMENTÃO VERMELHO E AMARELO
  • ARROZ  COM AMÊNDOAS TOSTADAS E PASSAS
  • PERA ASSADA  COM QUEIJO BRIE
  • AMEIXA  GRELHADA COM QUEIJO MINAS  E  MEL QUENTE
  • PURÊ RÚSTICO DE BANANA DA TERRA

SOBREMESA:

TIRAMISÙ

PARA RESFRIAR A PALAVRA E LUBRIFICAR A GARGANTA:

PROSECCO
VINHOS TINTOS

PARA ENCERRAR OS TRABALHOS:

AMARULA E  FINANCIER 

 BRUSQUETA


 MIX DE TRECOS



PRATO PRINCIPAL


TIRAMISÙ


O CHEFETE E A ANFITRIÃ

Faltaram as fotos do gaspacho de tomate e manga e do torresmin

FOTOS: Marcelinho 

domingo, 6 de novembro de 2016

LIÇÕES DE UMA TRISTE FIGURA - Dilson Marques



Imagem: Internet
Sempre fui fã de filmes e romances de cavalaria. Rei Artur, Lancelote, Gawain, Ivanhoé e Ricardo Coração de Leão, enchiam minha cabeça de menino não apenas de atos de bravura física, mas de ética, coragem moral e companheirismo.
Já mais adolescente, quando geralmente abandonamos, ou até mesmo passamos a nos envergonhar das coisas de menino, fui apresentado a Dom Quixote de La Mancha.
O mais interessante é que quem me recomendou o livro tinha por intenção alertar sobre os perigos da leitura em excesso. O bom fidalgo, de tanto ler, enlouquece, e passa a ver tudo sob o manto da fantasia, ou do personagem por ele assumido. Um Cavaleiro da Triste Figura, magro, velho, alquebrado, cavalgando um pangaré com uma bacia de metal na cabeça, um escudo e espada de terceira, e uma vontade imensa de acabar com os perigos do mundo.
Graças a Deus, não peguei medo da leitura. Graças a Deus, um pouco da loucura e principalmente das lições dessa Triste Figura, me marcaram por toda a vida.
Aprendi com Quixote que, para ser cavaleiro, basta a coragem, a vontade e a ousadia. As armas, bem, uma bacia (ou panela como mostrou Ziraldo), uma espada enferrujada, uma lança de madeira, um escudo feito por uma bandeja, um pangaré às portas da morte, e uma estrada pra seguir em frente.
Ensinou-me também Quixote, que a mulher que amamos sempre será uma nobre ou princesa, e que seus amigos e companheiros são heroicos e valentes.
Aprendi que a casa que me acolhe, por mais humilde que seja, é um castelo. Que existe uma magia ruim, tentando me fazer ver as coisas diferentes do que são.
Mas a principal lição é aquela de que o verdadeiro cavaleiro põe à disposição da justiça e dos injustiçados sua força e suas armas. E quanto maior e mais forte for o adversário, proporcionalmente o será a glória de enfrentá-lo.
Ah, e aprendi a não dar ouvidos quando me dizem que são moinhos, não são não. São ogros gigantes que querem nos engolir. São imensos e malévolos seres, que se alimentam de almas, que devoram espíritos e vontades.
Cavaleiro da Triste Figura, que ao voltar pra casa conclui que não existem mais heróis, apesar das injustiças muitas pela estrada em diante.
Cavaleiro da Triste, Ridícula e Amada Figura, vem comigo a recolher as luvas atiradas em desafio e a provar a todos que devemos “lutar, quando é fácil ceder”. Pegue sua espada, escudo e bacia, e vamos em frente, que os moinhos não nos enganam, são monstros e gigantes, que precisam urgentemente ser derrotados, para que enfim tenhamos um pouco de paz.

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Gentileza gera gentileza, gera desconto, gera mais educação, gera mais alegria, gera mais respeito ao próximo, gera uma corrente positiva de atitudes, gera um lugar melhor de se viver

O Restaurante Piu Braziliano é onde frequento há mais de 10 anos, almoço sempre e de vez em quando tomo um chopinho.

Atende sel-service para almoço. A la carte durante a noite, com chop, vinhos e uma boa carta de cervejas.

Lugar bom de conhecer. Vai lá !!!

Fica na EndereçoAv. Professor Mário Werneck, 1441 - Buritis, MG, 30455-610




Vídeo: YouTube - Jornal Minas da Rede Minas de TV de Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil

domingo, 16 de outubro de 2016

Tenha calma, mesmo que um dia comece cinza, "o sol há de brilhar mais uma vez e a luz há de chegar aos corações". Viva a mãe natureza

Dormiu mal, acordou com dor de cabeça, mal humorado, olhou pela janela e viu um novo dia cinza, com neblina e você pensou: Porra! Não devia ter saído da cama.


Tenha calma, respire fundo.


Você poderá ser surpreendido com uma pequena luz no horizonte,




que vai se expandir, subir cada vez mais. E começará a aquecer e colorir o seu dia.


Aí, meu amigo, surpresa!!! O seu dia se tornará assim, dourado, cheio de calor e vida nova.

Respire fundo!!! Curta seu dia.

Lembre-se de saudar a mãe natureza com um belo grito. 

"VIVA A MÃE NATUREZA" !!!!!!!!!!!!!!!!!!

Você ficará renovado, mas os seus vizinhos poderão ficar muito putos da vida com você, gritar feito maluco 5 horas da manhã, acordando todo mundo num domingo?

Fotos: UNIVERSO - Pela janela do meu cafofo

LER POESIA É MAIS ÚTIL PARA O CÉREBRO QUE LIVROS DE AUTOAJUDA, DIZEM CIENTISTAS - publicado em literatura por Marcelo Vinicius - OBVIUS MAGAZINE

poeta-willian-shakespeare-20111104-size-598.jpg
William Shakespeare

Você já podia imaginar, mas agora está evidenciado cientificamente: ler poesia pode ser mais eficaz em tratamentos psicológicos do que livros de autoajuda. E mais: textos de escritores clássicos como Shakespeare, Fernando Pessoa, William Wordsworth e T.S. Eliot, mesmo quando de difícil compreensão, estimulam a atividade cerebral de modo muito mais profundo e duradouro do que textos mais simples e coloquiais.

Um texto já publicado pela agência EFE, mas que poderia ser revisto, afinal estamos comentando sobre a velha história da análise crítica sobre Literatura tida como de qualidade e a Literatura tida como de entretenimento, e mais, auto-ajuda: a leitura de obras clássicas estimula a atividade cerebral e ainda pode ajudar pessoas com problemas emocionais, diz estudo. Ler autores clássicos, como Shakespeare, Fernando Pessoa, William Wordsworth e T.S. Eliot, estimula a mente e a poesia pode ser mais eficaz em tratamentos do que os livros de autoajuda, segundo um estudo da Universidade de Liverpool.

Especialistas em ciência, psicologia e literatura inglesa da universidade monitoraram a atividade cerebral de 30 voluntários que leram primeiro trechos de textos clássicos e depois essas mesmas passagens traduzidas para a "linguagem coloquial". Os resultados da pesquisa, antecipados pelo jornal britânico "Daily Telegraph", mostram que a atividade do cérebro "dispara" quando o leitor encontra palavras incomuns ou frases com uma estrutura semântica complexa, mas não reage quando esse mesmo conteúdo se expressa com fórmulas de uso cotidiano.

Esses estímulos se mantêm durante um tempo, potencializando a atenção do indivíduo, segundo o estudo, que utilizou textos de autores ingleses como Henry Vaughan, John Donne, Elizabeth Barrett Browning e Philip Larkin.

Os especialistas descobriram que a poesia "é mais útil que os livros de autoajuda", já que afeta o lado direito do cérebro, onde são armazenadas as lembranças autobiográficas, e ajuda a refletir sobre eles e entendê-los desde outra perspectiva. "A poesia não é só uma questão de estilo. A descrição profunda de experiências acrescenta elementos emocionais e biográficos ao conhecimento cognitivo que já possuímos de nossas lembranças", explica o professor David, encarregado de apresentar o estudo.

Após o descobrimento, os especialistas buscam agora compreender como afetaram a atividade cerebral as contínuas revisões de alguns clássicos da literatura para adaptá-los à linguagem atual, caso das obras de Charles Dickens. 

 * Com agência EFE

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Prato do dia - Costelinha de suíno com quirela, jiló e quiabo grelhados

 Preparo e foto - UNIVERSO


Ingredientes

1 Kg de costelinha de porco com mais carne e menos gordura 
6 jilós cortados em fatias
10 quiabos cortados ao meio no comprimento
250 g de quirela (canjiquinha)
Sal a gosto
1 cebola média ralada
Alho poró a gosto
2 folhas de ouro
Suco de 1 limão
Azeite

Preparo

Coloque a costelinha de molho em uma vasilha com água e o suco do limão.
Deixe por cerca de 15 minutos de molho
Escorra e lave em água corrente (sai todo o gosto de geladeira e sangue), a carne ficará rosada.
Tempere com sal, cebola, louro, alho poró, esfregue em toda a costelinha.
Deixe tomar gosto por 30 minutos
Ponha em um assadeira e asse em forno aquecido a 250º, até ficar dourada, macia e assada

Numa panela refogue um pouco de cebola, alho poró, coloque água e ponha a canjiquinha para cozinhar. Se precisar acrescente água aos poucos. 
Ponha duas pitadas de sal, mexa sempre para que não agarre no fundo da panela e não queime. Apure o sal.

Numa frigideira bem quente, coloque gotas de azeite e grelhe os jilós e quiabos, salpique um pouco de sal 

Sirva em seguida

Dicas: A canjiquinha, os jilós e quiabos, devem ser preparados após a costelinha estar pronta.
A costelinha gosto de comprar uma banda no açougue e peço para que a cortem ao meio e separem os pedaços.
Eu prefiro assar as metades da banda de costelinha inteiras. Ao servir corto os pedaços.

Cerveja gelada e caipirinha durante o preparo do prato é fundamental para manter o cozinheiro bem hidratado

Serve 2 porções com repeteco

Prato do dia - Costelinha de suíno com quirela, jiló e quiabo grelhados

 Preparo e foto - UNIVERSO

Ingredientes

1 Kg de costelinha de porco com mais carne e menos gordura 
6 jilós cortados em fatias
10 quiabos cortados ao meio no comprimento
250 g de quirela (canjiquinha)
Sal a gosto
1 cebola média ralada
Alho poró a gosto
2 folhas de ouro
Suco de 1 limão
Azeite

Preparo

Coloque a costelinha de molho em uma vasilha com água e o suco do limão.
Deixe por cerca de 15 minutos de molho
Escorra e lave em água corrente (sai todo o gosto de geladeira e sangue), a carne ficará rosada.
Tempere com sal, cebola, louro, alho poró, esfregue em toda a costelinha.
Deixe tomar gosto por 30 minutos
Ponha em um assadeira e asse em forno aquecido a 250º, até ficar dourada, macia e assada

Numa panela refogue um pouco de cebola, alho poró, coloque água e ponha a canjiquinha para cozinhar. Se precisar acrescente água aos poucos. 
Ponha duas pitadas de sal, mexa sempre para que não agarre no fundo da panela e não queime. Apure o sal.

Numa frigideira bem quente, coloque gotas de azeite e grelhe os jilós e quiabos, salpique um pouco de sal 

Sirva em seguida

Dicas: A canjiquinha, os jilós e quiabos, devem ser preparados após a costelinha estar pronta.
A costelinha gosto de comprar uma banda no açougue e peço para que a cortem ao meio e separem os pedaços.
Eu prefiro assar as metades da banda de costelinha inteiras. Ao servir corto os pedaços.

Cerveja gelada e caipirinha durante o preparo do prato é fundamental para manter o cozinheiro bem hidratado

Serve 2 porções com repeteco

Mundo Grande - Carlos Drummond de Andrade


Arte Meu Mundo - UNIVERSO

Não, meu coração não é maior que o mundo.
É muito menor.
Nele não cabem nem as minhas dores.
Por isso gosto tanto de me contar.
Por isso me dispo,
por isso me grito,
por isso freqüento os jornais, me exponho cruamente nas livrarias:
preciso de todos.
Sim, meu coração é muito pequeno.
Só agora vejo que nele não cabem os homens.
Os homens estão cá fora, estão na rua.
A rua é enorme. Maior, muito maior do que eu esperava.
Mas também a rua não cabe todos os homens.
A rua é menor que o mundo.
O mundo é grande.
Tu sabes como é grande o mundo.
Conheces os navios que levam petróleo e livros, carne e algodão.
Viste as diferentes cores dos homens,
as diferentes dores dos homens,
sabes como é difícil sofrer tudo isso, amontoar tudo isso
num só peito de homem... sem que ele estale.
Fecha os olhos e esquece.
Escuta a água nos vidros,
tão calma, não anuncia nada.
Entretanto escorre nas mãos,
tão calma! Vai inundando tudo...
Renascerão as cidades submersas?
Os homens submersos – voltarão?
Meu coração não sabe.
Estúpido, ridículo e frágil é meu coração.
Só agora descubro
como é triste ignorar certas coisas.
(Na solidão de indivíduo
desaprendi a linguagem
com que homens se comunicam.)
Outrora escutei os anjos,
as sonatas, os poemas, as confissões patéticas.
Nunca escutei voz de gente.
Em verdade sou muito pobre.

Outrora viajei
países imaginários, fáceis de habitar,
ilhas sem problemas, não obstante exaustivas e convocando ao suicídio.
Meus amigos foram às ilhas.
Ilhas perdem o homem.
Entretanto alguns se salvaram e
trouxeram a notícia
de que o mundo, o grande mundo está crescendo todos os dias,
entre o fogo e o amor.

Então, meu coração também pode crescer.
Entre o amor e o fogo,
entre a vida e o fogo,
meu coração cresce dez metros e explode.
– Ó vida futura! Nós te criaremos.

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Vesperal - Cruz e Souza

Entardecer Digital - Chicureo - Chile - UNIVERSO


Tardes de ouro para harpas dedilhadas
Por sacras solenidades
De catedrais em pompa, iluminadas
Com rituais magestades.

Tardes para quebrantos e surdinas
E salmos virgens e cantos
De vozes celestiais, de vozes finas
De surdinas e quebrantos...

Quando através de altas vidraçarias
De estilos góticos, graves,
O sol, no poente, abre tapeçarias,
Resplandecendo nas naves...

Tardes augustas, bíblicas, serenas,
Com silêncio de ascetérios
E aromas leves, castos, de açucenas
Nos claros ares sidéreos...

Tardes de campos repousados, quietos.
Nos longes emocionantes...
De rebanhos saudosos, de secretos
Desejos vagos, errantes...

Ó tardes de Beethoven, de sonatas,
de sentimento aério e velho...
Tardes da antiga limpidez das pratas,
De epístolas do Evangelho!



Prato do dia - Creme de mandioquinha (batata baroa) com camarão e castanha de caju


Cozinhe 4 mandioquinhas de tamanho médio.

Bata no liquidificador até formar um creme. Se preciso adicione um pouco da água em que cozinhou as mandioquinhas

Refoque numa panela com um pouco de azeite, 1/2 cebola média ralada, alho poró picado (pouco).

Deixe ferver, apure o sal.

Numa frigideira, refogue os camarões em um pouco de azeite, ervas de Provence, e uma pequena pitada de sal, por cerca de 2 minutos de cada lado.

Sirva o creme quente, com os camarões e as castanhas de caju, inteiras ou trituradas.

2 porções com repeteco. 

Prato do dia - Gazpacho de tomate com manga



Muito rápido e simples de se preparar. Sabor especial.

Bater no liquidificador, use o comando PULSAR, até obter um creme homogêneo:

1 ou 2 tomates maduros, sem as sementes e pele ( vai depender do tamanho do tomate) e 1 manga.

Tempere com uma pequena pitada de sal, para obter um sabor agridoce.

Ponha na geladeira até a hora de servir.

Sirva como entrada.

2 porções.

Prato do dia - Banana com mel, curry, licor de laranja e goiabada cascão de colher


Banana com mel, curry, licor de laranja e goiabada cascão

Lembram dos pratos Colorex?
Esse da foto tem 46 anos, um dos 6 restantes, para sobremesa, de um jogo que ganhei no meu casamento.

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Certezas - Adriana Brito

MARINHA DIGITAL - PORTO DE GALINHAS - PERNAMBUCO - UNIVERSO


Não quero alguém que morra de amor por mim…
Só preciso de alguém que viva por mim, que queira estar junto de mim, me abraçando.
Não exijo que esse alguém me ame como eu o amo,
quero apenas que me ame, não me importando com que intensidade.

Não tenho a pretensão de que todas as pessoas quem gosto, gostem de mim…
Nem que eu faça a falta que elas me fazem, o importante pra mim é saber que eu, em algum momento, fui insubstituível…

E que esse momento será inesquecível..

Só quero que meu sentimento seja valorizado.
Quero sempre poder ter um sorriso estampando em meu rosto, mesmo quando a situação não for muito alegre…
E que esse meu sorriso consiga transmitir paz para os que estiverem ao meu redor.
Quero poder fechar meus olhos e imaginar alguém…
e poder ter a absoluta certeza de que esse alguém também pensa em mim quando fecha os olhos, que faço falta quando não estou por perto.

Queria ter a certeza de que apesar de minhas renúncias e loucuras,
alguém me valoriza pelo que sou, não pelo que tenho…
Que me veja como um ser humano completo, que abusa demais dos bons
sentimentos que a vida lhe proporciona, que dê valor ao que realmente
importa, que é meu sentimento… e não brinque com ele.

E que esse alguém me peça para que eu nunca mude, para que eu nunca cresça, para que eu seja sempre eu mesmo.
Não quero brigar com o mundo, mas se um dia isso acontecer, quero ter forças suficientes para mostrar a ele que o amor existe…
Que ele é superior ao ódio e ao rancor, e que não existe vitória sem humildade e paz.

Quero poder acreditar que mesmo se hoje eu fracassar, amanhã será outro dia, e se eu não desistir dos meus sonhos e propósitos, talvez obtenha êxito e serei plenamente feliz.
Que eu nunca deixe minha esperança ser abalada por palavras pessimistas…
Que a esperança nunca me pareça um “não” que a gente teima em maquiá-lo de verde e entendê-lo como “sim”.

Quero poder ter a liberdade de dizer o que sinto a uma pessoa, de poder dizer a alguém o quanto ela é especial e importante pra mim, sem ter de me preocupar com terceiros…
Sem correr o risco de ferir uma ou mais pessoas com esse sentimento.

Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão…
Que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades e às pessoas,
que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim…

e que valeu a pena.